Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

Carregando...

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Maomé: O Islamismo




Por: Bruno Ferreira

Quem foi Maomé?

No Ano de 622, na Cidade de Meca, um profeta chamado Maomé estava sempre rodeado por um pequeno grupo de seguidores. Ele pregava uma nova religião, influenciado pelo judaísmo e pela cristandade, mas tendo suas próprias crenças. Seus ensinamentos não foram  aceitos imediatamente, tanto que ele teve de fugir da cidade, mas seus seguidores atingiram com profundidade a psique de muitos dos seus ouvintes. “história Ilustrada das Cruzadas”


O Islamismo e Maomé estão constantemente ligados por ser ele o profeta que recebeu a doutrina islâmica através do anjo Gabriel. O islã que é a mais recente das  principais vertentes religiosas do mundo. Nasceu através de Maomé ele que nasceu em Meca em 570 d.C filho de uma família tradicional da cidade, está cidade que era um dos principais centros comerciais da Arábia, Maomé ficou órfão logo novo e foi criado por um tio que o ensinou a ser condutor de Camelos para uma viúva Khadidja, que era muito rica, embora quinze anos mais velha do que Maomé, ele casou com ela e tonou-se sua esposa, sua esposa foi a primeira a segui-lo, pois ele dizia a ela que tinha revelações.
Meca não era apenas uma cidade comercial, mas também religiosa, muitas tribos nômades que viviam próxima a cidade a consideravam sagrada, pois uma pedra negra, esta que caiu do céu, que era considerada sagrada, ocorria que varias tribos iam adorar está pedra, portanto varias seitas e cada tribo tinha a sua   adoração.
Nesse decorrer Maomé foi influenciado por duas religiões que crescia na região que eram os Judeus e o Cristianismo ambos tinham a noção de juízo final, e a volta de um Deus todo poderoso que julgaria a humanidade.
 Maomé que todos os anos retiravam-se para uma caverna este que também era habito de monges e eremitas cristãos, quando completou quarenta anos Maomé recebeu uma revelação na caverna. O anjo Gabriel apareceu com um pergaminho e ordenou a ele que o lesse.
O Corão livro sagrado dos muçulmanos foi escrito depois da morte do profeta Maomé. Após o ocorrido da caverna Maomé começou a pregar em nome de Deus, com suas pregações fez surgir vários inimigos poderosos, com grande intriga ele saiu de Meca e foi para Medina a onde havia vários seguidores e o aceitou suas ideias, esse episodio de saída de Meca e conhecido como “Hegira” que conhecido como rompimento.
Maomé em Medina tornou-se poderoso e influente líder político e religioso conseguiu organizar-se financeiramente, conseguiu tomar Meca está luta que ficou conhecida como “Jihad” e com o decorrer além de Meca conseguiu subjulgar  a Arábia unindo em torno de um só  pais e de uma tradição a islâmica e morreu em 632, após sua morte ocorreu o cisma do Islã quem seria o novo líder, dividido em facões rivais e ideias diferentes, mas mesmo assim no decorrer o islamismo expandiu-se para diferentes partes do globo espalhando pela; Ásia, Arábia, áfrica e chegando a Europa influenciando a cultura da península ibérica. Com muita luta os cristãos conseguiram expulsar os mouros assim denominados.
A cinco principais pilares que norteia a religião islâmica eles são:
1 – Não há outro Deus senão Alá, e Maomé é seu profeta.
2 – Oração deve ser feita cinco vezes ao dia, antes de cada um dos horários fixos.
3 – A caridade é uma taxa sobre a riqueza e a propriedade, de acordo com Maomé está taxa deve ser tirada dos ricos e dada aos pobres.
4 – O Corão proíbe de comer, porco, e bebida alcoólica, e prega que acha o jejum no ramadã.
5 – E todo muçulmano deve uma vez na vida fazer a peregrinação a Meca, lá está o santuário sagrado com a Caaba, todos os anos milhões de islâmicos vão a Meca.





Bibliografia

História ilustrada das cruzadas/ W. B. Bartlett; tradução de Nelson de Almeida Filho. – São Paulo: Ediouro, 2002. – (História Ilustrada).

O livro das religiões/joistein Garder, Victor Hellern, Henry Notaer; tradução Isa Mara Lando; revisão técnica e apendice Antonio Flávio Pierucci: - São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário